domingo, 23 de janeiro de 2011

Não se mata um soldado ferido - A questão dos afastados da Igreja



Não se mata um soldado ferido. Pv 18:19 

“O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte...”. Pv 18:19

 Pr. Edenir Araújo

Introdução: Amados eu gostaria de compartilhar essa palavra de hoje com você por que já há algum tempo eu tenho estado incomodado e ocupado orando sobre a realidade dos crentes desviados nas nossas igrejas.
Gostaria de fazer a seguinte consideração: Ao mencionar a palavra desviado me referir àqueles que estão sem congregar em uma igreja local, não quero que você pense no que é comum pensar a respeito destes. Quando falo desviado, estou me referindo àqueles que passaram por essa igreja, mas por alguma razão não permaneceram mais entre nós. Não quero também fazer juízo destes, dizendo que estão fora dos caminhos do Senhor, apenas quero enfatizar o valor de cada um deles e o nosso desejo de tê-los de volta.
As igrejas brasileiras têm cumprido o ide de Jesus na pregação da Palavra de Deus.Prova disto é o crescente número de evangélicos no país. No censo do IBGE, realizado no ano 2000, o Brasil tinha 26 milhões de evangélicos (5,45% da população). No entanto, o estudo “Economia das Religiões”, realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que, em apenas três anos, entre 2000 e 2003, mais de 7,5 milhões de brasileiros foram batizados em igrejas evangélicas. Em 2007 o número de evangélicos no país subiu para aproximadamente 43 milhões de pessoas. O que representa 23% da população brasileira. Vários são os recursos para a propagação do evangelho: rádio, TV, livros, internet, missões... mas poucas são as denominações que se preocupam em manter o rebanho e resgatar as ovelhas perdidas, os soldados feridos. Algumas igrejas na contramão do encargo pastoral até tentam tirar as ovelhas dos vizinhos e tornam-se rivais concorrentes.
Calcula-se que hoje existam no Brasil cerca de 40 milhões de "desviados", Essas pessoas receberam a Jesus como Salvador de suas almas, passaram pelo batismo, mas acabaram abandonando a igreja. São cidadãos que chegaram a sentir a alegria de fazer parte da igreja do Senhor Jesus, sentaram ao seu lado nessa igreja, porém, por motivos diversos, tiveram “saudades do Egito”. Alguns deles certamente estiveram até ocupando alguma função ministerial, mas hoje estão prostrados diante do pecado. O mais preocupante é que boa parte dos desviados hoje povoa os hospícios e presídios.
O pastor Sinfrônio Jardim Neto desde 1994 avaliou centenas de igrejas e concluiu que a respeito dos desviados, uma igreja de 200 membros perde outros 400 em 10 anos!



Enquanto você ouve esta palavra, pare um instante e olhe à sua direita e esquerda. Agora, saiba que daqui a dez anos é possível que a senhora, o jovem sorridente e o austero senhor que estão em cadeiras próximas a você cantando louvores estejam completamente afastados da igreja, bamargurados com Deus e entristecidos por algum motivo.


 

A igreja vê o desviado como se fosse Judas Iscariotes, que traiu a Deus e a igreja.E o trata como se fosse lixo que precisa ser retirado daquele ambiente. Mal sabe que o desviado é como o ouro de Deus que se perdeu na lama podre. Está perdido na lama, mas ainda é ouro e precisa de gente interessada, garimpeiros que estendam a mão e vasculhem até encontrá-lo".


A respeito dos desviados, eu estou sinceramente assustado com a tamanha negligência no meio do povo evangélico para com essas pessoas. Me parece que para a maioria dos crentes congregados que conheço, os desviados são leprosos miseráveis que quanto mais distantes da igreja melhor.
Certo militar disse a um pastor: “Vocês crentes são loucos! Pois a igreja é o único exército que abandona os seus soldados feridos na batalha.”

O propósito das minas nas guerras não é matar, mas ferir, fazendo com isso que outros soldados sejam mobilizados para prestar socorro, detendo assim o avanço do exército inimigo. Então todas as vezes que uma mina explode, um soldado ferido precisa de socorro, e até os exércitos mais cruéis do mundo cuidam dos seus feridos.
Muitos crentes estão desviados do corpo local, estão feridos, e a maior parte dos congregados indiferentes ao sofrimento destes irmãos.
 ???Mas quem de fato são os desviados??? 

 Agora veja que quando um crente negligencia a responsabilidade de ir atrás da centésima ovelha, também se torna um desviado. Pois se alguns se desviaram saindo da igreja por motivos vários, não estamos nós dentro da igreja desviados pelo simples motivo de não irmos atrás destes mesmos irmãos, uma vez que a orientação de Jesus neste caso é ir atrás da ovelha perdida?
“Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até achá-la?” Lc 15:4 
Você pode estar ouvindo essa palavra e pensando: “ainda bem que eu não sou pastor!”
Não se engane! Ainda que a maioria de nós não tenha o título e nem seja chamado de pastor em nossas igrejas, somos também corresponsáveis pelo pastoreio deste rebanho no qual estamos inseridos. Quase todos nós, assumimos que amamos a Jesus, todavia quem ama a Deus de todo coração deve ter o encargo de cuidar de ovelhas.
Negligenciar este chamado, é desobedecer a Deus e cooperar com a obra do maligno. Pv 18:9 diz: “O negligente na sua obra é irmão do destruidor.”
Veja a conversa de Jesus com Pedro sobre tal responsabilidade:
“15Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeirinhos. 16 Tornou a perguntar-lhe: Simão, filho de João, amas-me? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Pastoreia as minhas ovelhas. 17 Perguntou-lhe terceira vez: Simão, filho de João, amas-me? Entristeceu-se Pedro por lhe ter perguntado pela terceira vez: Amas-me? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas.” Jo 21:15-17 
 Muitas teorias dão conta de explicar este texto. Uma delas diz que Pedro teve que confessar três vezes por que essa foi a quantidade de vezes que ele O negou. Outros dizem que Pedro ao negar Jesus teria negado também ao Pai e ao Espírito Santo, e também por isso confessou seu pecado três vezes, particularmente gosto dessa interpretação. Mas a hermenêutica aqui não cabe para saber sobre isso. O que importa de fato é a vontade de Deus revelada, e sua direção para Pedro a partir daquele momento era: Seja um apascentador!
 Ø  Hoje a lição para todos os crentes é: Quem ama apascenta!
As pessoas que estão desviadas, ao contrário do que muitos pensam, não foram excluídas do rebanho de Jesus, eles fazem parte do corpo do Senhor. Estes precisam de auxílio, pois estão longe da vida da igreja local, e nós estamos sendo recrutados para resgatá-los com vida.
Será preciso deixar a televisão, o futebol, talvez alguns passeios, a comodidade de dormir até mais tarde no fim de semana para visitar um soldado ferido, um irmão desviado. Lembre-se: O tempo que gastamos nos ocupando com algo, determina o valor disto para nós. Precisamos ter um encargo genuíno por pessoas, e isso só será possível se houver compaixão em nós.
Salomão falando sobre a responsabilidade que os cristãos devem ter no tratamento com os demais membros da Igreja disse: “O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte...”. Pv 18:19
Resgatar um soldado ferido é trabalhoso e nos custará um alto preço, pois o inimigo o fez refém. Estes estão debaixo da condenação do pecado, sem forças para lutar.
No filme “Um ato de coragem” Jonh Q. (Denzel Washington) descobre que seu filho possui um problema grave no coração e precisa de um transplante urgente. Mas a operação é muito cara e o plano de saúde de John não cobre. Correndo contra o tempo e sem dinheiro para pagar a cirurgia, John procura a direção do hospital, órgãos governamentais e associações civis, coloca a sua casa e tudo o que tem à venda. Mas, infelizmente, é em vão! O hospital vai mandar o garoto para casa e selar o seu destino. John, então, toma uma atitude radical: invade o setor de emergência do hospital, faz médicos e pacientes reféns, na tentativa de obrigá-los a realizar o transplante em seu filho. Logo o hospital está cercado pela imprensa, pelo público e pela polícia. Na mira dos atiradores de elite, John não sabe como tudo terminará, mas tem uma certeza: Ele não enterrará seu filho!
Será que estamos passivos à sentença de morte que foi dada aos nossos irmãos e filhos na fé? Será que estamos enterrando nossos irmãos desviados? Precisamos apenas de “um ato de coragem”, uma decisão de ir e resgatar os feridos das mãos de satanás. Devemos dizer como Moisés disse a faraó: “Nem uma unha ficará!” Nada do que Deus nos deu, permanecerá nas mãos do inimigo.
Vamos dar de encontro com as portas do inferno pois elas não resistirão a IGREJA DE JESUS!!!
Qual o valor do crente desviado para Jesus?
“Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? ou que dará o homem em recompensa da sua alma?” Mt 16:26 
 Uma alma vale mais que o mundo todo!
 “Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados. Tg 5:20
 “O fruto do justo é árvore de vida; e o que ganha almas sábio é.” Pv 11:30 
 Será que estamos cooperando para manter desviados, os nossos irmãos na fé?
O que fazer diante da triste realidade em que muitos de nossos irmãos se encontram?
Paulo pode nos ensinar algo a respeito disso. Vejamos o texto de 2Co 2:5-11
“5 Ora, se alguém tem causado tristeza, não me tem contristado a mim, mas em parte (para não ser por demais severo) a todos vós. 6 Basta a esse tal esta repreensão feita pela maioria. 7 De maneira que, pelo contrário, deveis antes perdoar-lhe e consolá-lo, para que ele não seja devorado por excessiva tristeza.
8 Pelo que vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor. 9 É pois para isso também que escrevi, para, por esta prova, saber se sois obedientes em tudo. 10 E a quem perdoardes alguma coisa, também eu; pois, o que eu também perdoei, se é que alguma coisa tenho perdoado, por causa de vós o fiz na presença de Cristo, para que Satanás não leve vantagem sobre nós; 11porque não ignoramos as suas maquinações. 2Co 2:5-11
Paulo aqui está tratando a respeito de um irmão que estava fora da comunhão do corpo local. Esse irmão agiu de maneira errada e por essa causa estava desviado. Paulo preocupou-se com esse irmão, orientando a igreja para que o perdoasse e o restaurasse à comunhão do corpo local.
Podemos aprender algumas coisas preciosas com esse texto a respeito do crente desviado.
1.Perdoar. ...deveis antes perdoar-lhe. v.7
 2.Consolar. ...e consolá-lo. v.7
 3.Confirmar o nosso amor. ...confirmeis para com ele o vosso amor. v.8  
Devemos ter o coração de Deus neste sentido pois desde o primeiro relato de desvio do homem, Deus sempre procurou corrigir e restaurar a condição do homem (Gn 3). Ir de encontro com o soldado ferido a fim de restaurá-lo foi sempre a atitude de Deus. Foi assim com Adão (Gn 3), Caim (Gn 4), com seu povo Israel, e ainda hoje com cada um de nós.  
Não podemos ignorar a ação do maligno, ele está trabalhando para destruir a vida daqueles que estão longe de Jesus, afastados da comunhão do corpo local.

Um comentário:

  1. penso assim,mas hoje me vejo como soldado ferido,sem direito de resgate...acho que nao tenho muito valor.....

    ResponderExcluir

Versiculo do dia